Glorificar a Cristo através do sofrimento



"De maneira que as minhas cadeias, em Cristo, se tornaram conhecidas de toda a guarda pretoriana e de todos os demais..." (Filipenses 1.13).



Algo do caráter inabalável de Paulo que nos serve de experiência para os nossos dias é o fato como ele encarava as dificuldades em sua vida como oportunidades para a glória de Cristo.

No caso em questão, ele, o apóstolo dos gentios estava preso por conta de sua atividade missionária.

Importante salientar que o sofrimento de Paulo não é por algum pecado, ou algum erro que ele tenha cometido, mas sim é por conta de sua própria missão, pois ele diz minhas cadeias "em Cristo".

O sofrimento "em nome de Cristo" não trouxe desânimo ao Apóstolo; muito pelo contrário, ele prosseguiu com sua atividade missionária a partir de sua própria situação existencial.
E o seu exemplo, na verdade, inspirou a muitos outros, pois conforme ele mesmo prossegue: "e a maioria dos irmãos, estimulados no Senhor pelas minhas algemas, ousam falar com mais desassombro a palavra de Deus". (1.15).

Todos os que quiserem viver piamente Cristo Jesus padecerão perseguições. Entretanto, no Senhor, as tribulações não são para desânimo, não são para a morte, pois  "todas as coisas concorrem para o bem daqueles que são chamados por Deus segundo o seu propósito".

E a virtude de Paulo foi pelo fato dele, não somente saber disso, mas também viver tal experiência.

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Os discípulos ocultos de Jesus

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Considerações acerca das bem-aventuranças

Panorama do Novo Testamento: Atos dos Apóstolos

As características do ministério de Cristo