Orar não é muito falar

E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos . (Mateus 6.7)
 
  
Há sempre a tentação, na religião, de acharmos que determinadas formas de oração, de dizer e repetir as coisas, podem mover o sobrenatural.

O "muito falar", repetindo determinadas frases interminavelmente era visto como uma forma de se conseguir favores do mundo espiritual.

Fato é que, muitas vezes, ora-se a Deus como se Ele não fosse uma pessoa inteligente. Dispara-se a falar (repetindo-se palavras ou não), sem pensar muito no que esta sendo dito, as vezes sendo até pouco reverente.

É incrível como as vezes falamos com o Senhor de um modo tal que não falamos com ninguém, nem mesmo com uma criança...

Jesus disse que não é pelo muito falar que seríamos ouvidos...

Pensemos em um relacionamento entre duas pessoas que se amam.

Eles gostam de conversar interminavelmente. Há momentos que um fala, o outro escuta, e vice versa. Há momentos para o silêncio...

Mas quem se ama de verdade, conhece o que vai no coração do outro... pergunte aos casais apaixonados...

Aí, não precisa muito ser dito... se conhecem apenas pelo olhar, sabem o que vai no coração...

Porque oração não são palavras... é um estado de coração (Charles Finney)...

Assim quando nos unimos ao Senhor, Ele sabe o que vai em nosso interior...

Mais do que nossas palavras (estas são muito importantes), o Senhor reconhece o impulso que parte de nosso interior, em nossas orações...

Pixabay

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Os discípulos ocultos de Jesus

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

FONTES DA TEOLOGIA

Quem veio primeiro: A Igreja ou as Escrituras?

Considerações acerca das bem-aventuranças