Ele quer que todos sejam salvos

Deus não tem um grupo de eleitos favoritos e despreza  todos os demais, ou os deixa abandonados ao seu próprio destino. Há quem acredite que há uma dupla predestinação, uns, para a bem aventurança eterna, e outros para o inferno. Há quem acredite que há somente a eleição de um grupo para a salvação, e todos os demais seguirão naturalmente o seu caminho para a perdição.

Deus não é assim. Ele quer que todos sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Ele não tem uma verdade revelada, aberta, escancarada, e outra escondida, misteriosa, inescrutável, no sentido de que declara que quer que todos sejam salvos, mas no fundo, só salva alguns.

Deus é amor. Ele não tem prazer na  morte do ímpio. Não tem prazer que alguém se perca por não se arrepender. Não tem prazer em condenar. Isto está de acordo com o caráter revelado de Deus tanto na antiga quanto na nova aliança.


Por isso, quando pregamos que Deus quer salvar, não fazemos isso com uma incerteza do tipo “será que estou pregando a um eleito de Deus”? Podemos oferecer sinceramente o evangelho da salvação para os nossos ouvintes a fim de que, se crerem, serão salvos. Já, há pregadores que nunca poderão afirmar que esta pregando com sinceridade ao dizer que sua plateia pode ser salva, pois ele nunca tem certeza se está falando a um grupo total de eleitos ou não.

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Os discípulos ocultos de Jesus

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Considerações acerca das bem-aventuranças

Panorama do Novo Testamento: Atos dos Apóstolos

As características do ministério de Cristo