Tudo aquilo que um ladrão deseja


 




Quer o cristão prosperidade?

O ladrão também quer.

Quer o cristão ter bastante para dar aos seus queridos, sustentar os seus filhos, recompensar os seus pais?

O ladrão também quer.

Quer o cristão uma bela casa, com belos móveis, belos carros, equipamentos de última geração?

O ladrão também quer.

Quer o cristão ter um guarda-roupa com todas as peças com os quais sonha impressionar os seus pares, sentir-se bem, expressar sua própria personalidade.

O ladrão também quer...

Enfim, poderíamos ficar aqui indefinidamente fazendo este exercício para verificarmos o quanto nossos desejos se parecem com os desejos de qualquer bandido, de qualquer ladrão...

Já escuto os protestos: "Ah, mas o meio que eles utilizam é pernicioso, é desonesto, é fraudulento, violento, mas os nossos não ..."

Bom, não nego isso. Claro que os nossos meios de conseguir as coisas são mais dignos...

Afinal, não exploramos ninguém através de nossos honestos empregos, não ameaçamos ninguém, caso não cumpram nossas ordens, também não arrecadamos indevidamente dinheiro de ninguém, nem deixamos de pagar todos os serviços públicos ou privados que nos são fornecidos, e sempre prestamos contas de tudo o quanto entra ou sai, não concorremos deslealmente com ninguém, espalhando mentiras, boatos, puxando o tapete, etc...

Entretanto, não é sobre os meios pelos quais conseguimos nossas coisinhas que estamos discutindo aqui.

Também não nego que as coisinhas aqui mencionadas não sejam desejáveis, e que não melhorariam, em certos aspectos, a nossa própria existência material. Não. Não nego isso.

O que fico a meditar é o quanto os nossos desejos se parecem tanto com os desejos de qualquer ladrão, de qualquer bandido.

Foi realmente para isso que Cristo nos libertou? Para ficarmos mais riquinhos, mais prósperozinhos, mais intelectuazinhos, mais bonitinhos, etc? Para andarmos na moda, termos o carro do ano, a casa da hora, o que de mais moderno há em eletrônica? ...

Acho preocupante quando colocamos na base, no impulso de nossos pensamentos e ações desejos que qualquer pagão desejaria. Quer dizer que o cristianismo só existe para santificar os meios, e deixar os desejos intactos?

Esta é uma questão que eu passo a ponderar agora com todos vocês!

Não! Eu penso que, não obstante os objetos materias que nos são dados possam facilitar a nossa vida, e serem úteis pelo uso, penso que o Senhor nos tem chamado para sonharmos e desejamos outra sorte de coisas. Sonharmos com o reino, que é paz, justiça e alegria no Espírito Santo. Sonharmos com um aprofundamento da idéia e da prática da justiça, da misericórdia, do amor. Sonharmos com uma sociedade menos agressiva e violenta, onde os foices e as espadas se convertam em ferramentas para o arado e para o plantio, onde a criança brique com o animal selvagem, e possa se cumprir finalmente a bendita escatologia divina sobre a terra, conforme os profetas vétero testamentários.

Um mundo em que o que se diz seguidor do Cristo possa se tornar sacramento vivo da presença do Senhor no mundo, cheiro suave para os que se salvam, sinal visível da invisível graça de Deus.

Sei que a maioria de nós, a começar de mim mesmo, está muito distante disto, mas se permitirmos que até nossos desejos sejam convertidos em outros que não os do reino, que não os de Cristo, aí pouco haverá o que fazer...

O machado está lançado à raiz das árvores. Quem resistirá?...

Comentários

  1. querido Carlos, existe uma e unica diferença.
    Cristo, e isto basta!
    daquele que só tem uma diferença com o ladrão.
    nEle,

    ResponderExcluir
  2. Querido Anônimo.

    Concordo contigo.

    Só tem um pequeno detalhe que precisamos meditar...

    "Quem diz estar 'nEle, deve andar como ele andou" (I João 2.6).

    Estamos mesmo "nEle"?

    Caso contrário, não há diferença nenhuma...

    Um grande abraço, e obrigado por participar.

    ResponderExcluir
  3. Que texto rico, Carlos. Parabéns. O texto ser rico pode, né? rsrs
    Sentimos sua falta na comunidade DCE. Aparece por lá.
    Abraços fraternos.
    Lilian

    ResponderExcluir
  4. Lilian!
    Muito obrigado pelo incentivo!
    Que o Senhor nos ajude a sermos cada vez mais fiéis a Ele.
    Em Cristo Jesus, nosso Senhor!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Os discípulos ocultos de Jesus

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Considerações acerca das bem-aventuranças

Panorama do Novo Testamento: Atos dos Apóstolos

As características do ministério de Cristo