A vontade de Deus e a pandemia

Decorridos alguns meses desta pandemia, muitos de nós conhecíamos alguém que veio a óbito por conta deste vírus.

A maioria das vítimas, provavelmente, pessoas de mais idade, e com alguma enfermidade anterior.

Entretanto, tendo em vista a grande quantidade de vítimas, também pudemos verificar que algumas pessoas jovens padeceram.

A tristeza é grande, independente da idade. Entretanto, é bastante chocante quando percebemos que alguém poderia ter vivido mais dez, vinte ou mais anos ao lado dos seus, e de repente, partiu. Eu acho particularmente espantoso ver que há alguns dias tais pessoas estavam com suas famílias, em suas igrejas, postando em suas redes sociais, e agora não estão mais entre nós.

Mas o que causa certa chateação, a mim ao menos, é verificar algumas das observações que são feitas neste momento, muitas vezes com a maior das boas intenções: “Deus o recolheu”, “Deus o tomou para si”, “Foi vontade de Deus”, e por aí vai.

Particularmente, às vezes penso que certas espiritualidades são mais um anestésico para aliviar nossa consciência da nossa própria responsabilidade.

Sim, a pessoa que morreu está com Deus, certamente. Mas é uma tragédia que ela tenha morrido. E não foi por vontade divina. Dizer do contrário, seria colocar na conta de Deus milhares de mortes, o que não é verdade.

As pessoas estão morrendo porque foram pegas por um vírus e seu organismo não estava preparado. E a responsabilidade não é de Deus, e sim de uma sociedade, que, infelizmente, não tem logrado muito êxito até aqui em evitar que o vírus circule.

A responsabilidade talvez seja de jovens que se arriscam em festas, baladas, sem o devido distanciamento social, e que se sentem super poderosos (e de fato, pode-se dizer que diante deste vírus, são fortes mesmo), mas que acabam sendo vetores de transmissão para os mais velhos.

Ou ainda, pode ser de pessoas que, por conta de sua pretensa espiritualidade, se sintam como que blindados, achando que não pegam e não transmitem essa doença. Ou que jogam toda a responsabilidade nas mãos de Deus, dizendo algo do tipo “se Deus quiser que alguém pegue, vai pegar”, e coisas do tipo.

A vontade de Deus é que cada qual ame ao seu próximo como a si mesmo, o que neste momento equivale, em meio a uma pandemia, evitar ao máximo contaminar e ser contaminado por esse vírus. 

Medicina, Máscara, Coronavirus, Médico, Hospital, Vírus

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Os discípulos ocultos de Jesus

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Considerações acerca das bem-aventuranças

Panorama do Novo Testamento: Atos dos Apóstolos

As características do ministério de Cristo