O que buscar em alguém para partilhar da sua vida

Minha avó costumava dizer que essa era a pergunta do milhão! Era a coisa mais preciosa de se achar na vida! Era mais importante do que ganhar na loteria!

E dou total razão a ela!

Disse alguém que toda a ação humana é no sentido de ir de uma posição de menor felicidade para outra de maior felicidade. E no casamento não poderia ser diferente, não é mesmo? Quem é que quer ficar com alguém para ser mais infeliz?

Tem pessoas que costumam ter uma listinha inconsciente (ou mesmo literal e consciente) das qualidades que alguém deve ter para formar o par perfeito.

Alguém atraente, inteligente, trabalhador, que tenha gostos e ideais parecidos, e que também saiba nos admirar e respeitar. Até aí, tudo certo!

Só que sabemos que ninguém vem pronto! Tipo um pacote que a gente abre e, pimba! Tudo do jeito que queríamos! Não! Há um processo de adaptação, construção, que somente pessoas que realmente se amam poderão trilhar.

Mas há algo bacana que entendo que deve caracterizar uma relação de quem pretende partilhar uma vida. Por mais óbvio que seja, essa coisa bacana é o prazer de estarem juntos.

Sim, isso mesmo. Tem que ser alguém que a gente tenha o prazer de ter por perto! E que, quando se despede, fica um desejo de quero mais. Alguém em cuja companhia o tempo é muito agradável, e passa muito rápido. Não é algo que necessariamente existe no outro, porém, aquilo que vocês se tornam quando estão juntos!

Sempre tive uma vida agitada. Trabalhos, estudos, ministério. Mas quando comecei a namorar com minha esposa, a gente tentava dar um jeito nos intervalos. Só tínhamos tempo de namorar praticamente domingo de manhã. Acordávamos bem cedo, íamos a um parque. Passávamos a manhã juntos. Após, já era hora do almoço, nos preparávamos e íamos para a igreja, pois desde o período da tarde, já havia atividades ministeriais.

Eu gosto muito de trabalhar, conversar, dar aulas, atuar no ministério, entre outras coisas. Entretanto, gosto mais de estar com ela. Talvez por ter uma vida tão agitada, aprecie estes momentos. E gosto mais de fazer muitas atividades com ela presente. Não entendo esses caras que se casam, e depois de um tempo, trabalham, trabalham, e constantemente deixam suas mulheres sozinhas em casa para estarem com amigos.

Eu sei que isso soa meio egoísta, mas a sensação é como se eu e ela nos bastássemos. É claro que na prática, todos precisamos de um círculo maior de relacionamento. Rubem Alves dizia que você deveria escolher alguém que gostasse de conversar, que haveria um dia que, de fato, era só o que vocês poderiam fazer. Eu digo mais. Escolha uma pessoa que você goste de estar junto, mesmo que não seja preciso falar muito. Dizem que em boa parte da evolução humana, nossa comunicação não era verbal, porém, gestual. Não sei se é verdade, porém, de fato, para quem gosta de estar junto, nem são necessárias muitas palavras.


Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Os discípulos ocultos de Jesus

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

FONTES DA TEOLOGIA

Considerações acerca das bem-aventuranças

Quem veio primeiro: A Igreja ou as Escrituras?