terça-feira, 5 de novembro de 2013

As características de um verdadeiro adorador

Paulo e Silas na prisão


"Por volta da meia noite, Paulo e Silas cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros da prisão escutavam" (Atos 16.25).


Não havia palco, nem cachê. Não havia mídia, nem tevê. O que havia eram dois homens em missão (o contexto era da segunda viagem missionária). Por isso, a primeira característica de um verdadeiro adorador é que ele sabe que está em missão para Deus. Não canta pra si próprio, nem para obter vantagens pessoais. Canta com a intenção de evangelizar, para a proclamação. Canta para a glória de Deus. Assim também nós, enquanto igreja, temos que ter a consciência de que alguém só é adorador de verdade se estiver em missão para com Deus, se estiver envolvido na grande obra de fazer discípulos de todas as nações. Cada cristão deve fazer do ganhar almas o grande objetivo de sua vida (Finney).

Eles estão na prisão porque expulsaram um demônio adivinhador da vida de uma moça, e que acabava dando muito lucro aos seus senhores. Se você  notar bem, este espírito adivinhador não falava mentira a respeito de Paulo e de Silas (Atos 16.17). O demônio dizia que eles eram "servos do Deus altíssimo" e que anunciavam "o caminho da salvação". Totalmente verdadeiro. Muitos hoje em dia talvez se sentissem lisonjeados com tais palavras, e tomariam o tal espírito por aliado. Ora, não é porque um certo espírito elogia os cristãos que necessariamente seja um espírito da parte de Deus. Fato é que Paulo se indignou e expulsou aquele demônio. O demônio, embora seja o pai da mentira (João 8.44) é muito perigoso, pois ele, por incrível que pareça, "mente falando a verdade". Ele é manipulador. Lembram-se de Pedro? Ele foi o primeiro a confessar que Jesus era o Cristo, e foi chamado de bem aventurado por isso (Mateus 16.16). Entretanto, quando Jesus começou a dizer que precisava padecer, Pedro o interrompeu, querendo impedir que tal coisa acontecesse. Jesus disse: "Arreda, Satanás; tu és para mim pedra de tropeço" (Mateus 16.23). Ou seja, em poucos segundos Pedro deu uma bola fora, após ter sido tão elogiado pelo Mestre. E isso, por influência maligna. O espírito maligno tem que ser expulso, ainda que fale bem de nós. Logo, um verdadeiro adorador é aquele que não tolera a obra dos demônios.

Importante enfatizar que aqueles adoradores salvaram a vida daquela menina que estava possessa. Vejam bem. Ela tinha um espírito adivinhador e dava lucro aos seus senhores. Há muitos hoje que estão possessos e que dão "lucro aos seus senhores". Muitos hoje estão possessos pelo álcool, pelas drogas, pela pornografia, pela violência, e dão lucro a muitos de seus senhores. Verdadeiros adoradores estão comprometidos com a libertação das pessoas daquilo e daqueles que as exploram. Nós, enquanto igreja, precisamos libertar pessoas que estão possessas. Grande é lucro do tráfico de drogas. Mas também grande é o lucro de empresas de bebidas alcoólicas que destroem a vida de tantos, da indústria da pornografia, bélica, do aborto, das falsas religiões e teologias, etc. E quando de fato, a verdadeira igreja começar a incomodar estes "senhores" que exploram a vida de pessoas possessas, ocorrerá o que aconteceu com Paulo e Silas, que foram presos e açoitados (2 Timóteo 3.12).

Mas o bonito de tudo isso é que os verdadeiros adoradores adoram a Deus independentemente das circunstâncias! Eles tinham acabado de serem açoitados, torturados. Estavam provavelmente em carne viva! Sem curativo, sem direitos humanos, nada. Entretanto, eles que podiam estar chorando, se lamentando, estavam orando e louvando, e isso na frente de todos (Atos 16.25). Assim também, verdadeiros adoradores adoram a Deus em meio à sua dor, suas lágrimas. Eles não se rendem à murmuração. Podem chorar, podem prantear, mas não deixam de adorar a Deus! Nos foi dado não somente o crer, mas também padecer por Cristo.

E também é lindo o fato de que, um verdadeiro adorador, na sua libertação, também liberta a vida de outros. Conforme vemos nos texto "abriram-se todas as portas, soltaram-se as cadeias de todos" (Atos 16.26). O adorador que adora independente das circunstâncias, em meio ao seu sofrimento, quando liberto, liberta a outros. Até o sofrimento pode ser evangelístico, testemunha das grandezas do Senhor. Fato é que Deus concedeu a todos naquela cadeia um verdadeiro "habeas corpus" coletivo, e a todos libertou. Isso sim que é adoração! Isso sim que é ser um verdadeiro adorador! Que possamos adorar ao Deus dessa forma e glorificar o nome do Senhor!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...