Como escolher um texto para pregação?

Houve um tempo em que eu era convidado de vez em quando para pregar na igreja em que congregava, ou na igreja de algum conhecido. Não era tão difícil escolher um tema de antemão. Geralmente era algum que já tinha alguma afinidade, que já tinha meditado algum tempo.
Entretanto, quando a gente assume uma comunidade, a coisa não é tão simples. Isso porque, não dá para ficar pregando somente nas passagens favoritas domingo após domingo.
Bem que eu queria que depois de algum tempo de oração, já viesse um tema na minha cabeça, com a passagem bíblica, esboço e tudo mais! Mas não é assim que funciona, infelizmente (pelo menos, não para mim)!
Assim sendo, tem que existir algum método para escolhermos o texto!
Quem faz parte de uma igreja que segue algum tipo de calendário de leituras, não terá esse problema. A igreja católica, luterana, anglicana, e outras tradicionais já têm prescritas as passagens que devem ser lidas. O padre ou reverendo só terá que ter o trabalho de preparar o sermão de acordo com a leitura do dia! Há outras igrejas neopentecostais que os bispos já anunciam de antemão quais devem ser os temas.
No meu caso, sou de uma igreja independente, não denominacional. Assim sendo, temos a liberdade de escolher o que queremos falar.
Assim sendo, eu recomendo aos pastores que se encontram nessa situação que escolham um livro das Escrituras Sagradas, e preguem sequencialmente, de preferência, nos domingos, os evangelhos. Do começo ao fim, afinal, para isso foram escritos!
Se fizerem assim, não terão a tensão de ter que ficar escolhendo um texto aleatórios todas as semanas! Além do que, haverá um senso de continuidade que fará bem tanto para a congregação quanto para o pregador.
Outra vantagem, é que o pregador é obrigado a enfrentar passagens que provavelmente não escolheria por vontade própria. Ele terá que enfrentar todos os assuntos daquele livro.
Um outro método que outros têm usado é escolherem determinadas temáticas para serem meditadas durante um espaço de tempo, que pode ser de um ou dois meses. Acho bacana também. Já cheguei a fazer uma série de sermões sobre as bem aventuranças.
Enfim, o que eu não recomendo é não ter nenhum método, e ficar estressando semana após semana, em qual texto irá pregar. Ainda mais se tiver um emprego secular, como eu, e não dispôr de muito tempo.

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

Os discípulos ocultos de Jesus

A fé segundo Rubem Alves

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

O crente egoísta

As atitudes missionárias de Jesus