A parábola do jumentinho


Era uma vez um jumentinho, muito bonitinho.

Ele era bem criado, forte, e realmente se sentia alguém muito especial!

Viva com uma família muito bacana, e ele via que os seus outros amigos jumentinhos sempre estavam carregando alguém.

Ele achava estranho que, mesmo ele se sentindo forte, ninguém ainda tinha montado nele!

Até que um dia chegaram uns caras estranhos que já foram se dirigindo a ele, e o soltando!

Os donos do animal conversaram com os tais homens, e, não demorou muito, deixaram ele os acompanhar.

Aqueles homens o trataram bem, mas ninguém nele montou!

Até que, de repente, colocaram as suas vestes sobre o bichinho, e este ficou todo enfeitado!

E finalmente, alguém o montou!

E animalzinho ficou impressionado, pois de repente surgiram várias pessoas, que estavam cantando e aplaudindo!

Foi uma festa maravilhosa, e o jumento estava vislumbrado!

De repente, ele não enxergava ninguém em especial, tudo o que via eram luzes, som, barulho, e muita, muita festa e palmas!

E ainda estendiam suas vestes para que ele passasse!

E o jumentinho se sentia um verdadeiro rei, muito importante afinal!

De repente, o homem desmontou, saiu andando, e toda a multidão o seguiu.

E o pobre animalzinho sozinho ficou.

Foi quando ele se tocou que não estavam aplaudindo a ele, e sim aquele que o montava...

Aquele jumento foi “Cristóforo”, ou seja, aquele que carrega o Cristo.

É sempre bom lembrar-se da história do jumentinho...

Quando você começar a se sentir orgulhoso, ouvir aplausos, coisas do tipo, diga para si mesmo: ô seu jumento, você é o carregador do Cristo! Todo o aplauso, toda honra, toda a glória pertencem a Ele!

Francisco chamava o seu corpo de irmão jumento. Que costuma ser teimoso, mas que deve ser sempre utilizado para "carregar" o Cristo em si! Que possamos sempre nos lembrar dessa honra, que é ter os nossos corpos utilizados para a glória do Cristo!

Domingo de Ramos

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

Os discípulos ocultos de Jesus

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

O crente egoísta

A fé segundo Rubem Alves

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Lidando com a traição e as injustiças da vida - o exemplo de José do Egito