A difícil questão do aborto

A questão ética referente ao aborto é pacificada no meio cristão (pelo menos mais conservador), por se considerar que a vida já começa com a concepção.

As Escrituras ensinam que pode haver uma ação do Senhor na vida fetos. No próprio relato evangélico João Batista era cheio do Espírito Santo desde o ventre de sua genitora, e, de algum modo, reconheceu Jesus ainda no ventre de Maria, quando esta visita Isabel, sua prima.

Então, é impossível para o cristão, por razões teológicas, ser favorável ao aborto. Isso, me parece um assunto indiscutível.

Devido aos clamores sociais que levam em consideração as condições precárias com que algumas mulheres resolvem abortar, colocando em risco suas próprias vidas, fizeram com que movimentos pela liberação do aborto surgissem.

Sinceramente, pensando bem a respeito do assunto, sou da opinião de que Jesus não aprovaria nem recomendaria o aborto, salvo se for para preservar a vida da própria mãe. No caso de uma violência sexual, sou da opinião que se deve deixar a mulher decidir em última instância. Penso que o Senhor também não julgaria uma mulher que optasse por interromper a gravidez nesse caso, por tudo aquilo que já sofreu.

Entretanto, também tenho dificuldade em achar que o Senhor fizesse algum tipo de campanha para prender e castigar mulheres que resolvessem abortar.

Jesus quer trabalhar nas nossas consciências, fazer um trabalho interior, em cada um de nós.

Independentemente do que a sociedade decidir, um cristão não irá praticar o aborto, e se o fizer, irá se arrepender amargamente. Assim também em outras áreas. A lei não vigia a sexualidade de ninguém, porém o cristão guarda a castidade. A lei não impede o divórcio, porém o cristão vive segundo a perspectiva da indissolubilidade do vínculo conjugal. A lei permite a prostituição, porém, um cristão não irá se prostituir.

Enquanto cidadão, o cristão certamente tem o direito de expor o seu próprio ponto de vista. Entretanto, o maior serviço que prestamos para a sociedade é a pregação, a oração e a caridade, dando exemplo com nossas próprias vidas. A sociedade é laica, e nem sempre decidirá conforme o ponto de vista religioso sobre algum assunto.

O cristão geralmente milita nesta questão do aborto, por entender que o feto, que é a parte mais fraca e inocente nesta equação, precisa ser defendido. Se o aborto for realmente um homicídio, os que o realizarem irão prestar contas ao Senhor, ainda que possa ser socialmente aceito. Entreguemos o julgamento ao Senhor.

Feto - Embriologia Humana - InfoEscola

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

Os discípulos ocultos de Jesus

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

O crente egoísta

A fé segundo Rubem Alves

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Lidando com a traição e as injustiças da vida - o exemplo de José do Egito