Até no riso tem dor o coração

“Até no riso tem dor o coração, e o fim da alegria é a tristeza” (Provérbios 14.13)

Há momentos muito felizes na vida da maioria de nós.

O carinho de uma mãe. O abraço de um amigo. O encontro com a pessoa amada. A sexualidade bem praticada. O nascimento de um filho. Atingir uma realização. Ganhar presentes. Receber atos de bondade.

Muitas coisas trazem sentido e alegria à nossa existência.

Entretanto, há também os momentos tristes.

A tristeza, a dor, o sofrimento... Tudo isso é como se estivesse subentendido em tudo o que temos e fazemos. É uma sombra que nos acompanha.

É como se o sorriso fosse somente um breve intervalo entre dor e dor. Uma simples distração.

O amigo vai embora um dia. Chega o dia do desemprego. Da escassez para muitos. Falta de saúde. É a meta que nunca é atingida. É o sonho que nunca se cumpre. E finalmente, a triste morte.

E por falar em morte, a imensa maioria dos seres humanos que parte deste mundo se vão em grande dor e agonia. Não importa se fizeram coisas boas, ou coisas ruins. Partem em grande sofrimento. É um processo geralmente muito doloroso. Bem-aventurados quando o sofrimento é rápido, não se estende tanto. Somente uns poucos é que, como os animais, vão dormir e não abrem mais os olhos neste mundo.

Como lidar com isso? Como viver diante de tal expectativa? Podemos fazer algo a respeito?

Sinceramente, não sei se podemos.

O que está ao nosso alcance, é procurar viver de forma sábia neste mundo, como insistentemente escreveu o autor do livro de Provérbios de Salomão, cujo principal tese é a de que “o temor do Senhor” é o princípio da sabedoria.

O mencionado livro, por exemplo, nos dá muitas lições de como procurar viver uma boa vida, aproveitar bem cada momento. É um livro que pode até chocar pelo pragmatismo e simplicidade, em uma clara demonstração de que a fé não existe para que joguemos o bom senso, a prudência, o planejamento pela janela.

A fé, quando bem vivida, traz a nós também uma sensação de alegria interior, subjetiva, mesmo em meio às situações mais difíceis da existência. Isso porque, entendemos, somos templo do Espírito Santo, cujo fruto é a alegria, a paz.

Isso significa que estaremos livres da dor? Não. Basta olhar para a história, e ver o quanto sofreram os mártires da fé, os melhores dentre nós. Basta olhar para Jesus Cristo, nosso Senhor.
O importante é não nos deixar iludir, enganar. Esse mundo é um vale de lágrimas sim, jaz no maligno sim. Sabendo disso, somos incentivados a viver de modo sábio, procurando não ser motivo de sofrimento para outro, para nós mesmos (cuidando, inclusive, de nossos corpos), e nos precavendo para que, no que depender de nós, não permitirmos que outro nos faça sofrer inutilmente.

Sobre o sofrimento na vida

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

Os discípulos ocultos de Jesus

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

O crente egoísta

A fé segundo Rubem Alves

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Lidando com a traição e as injustiças da vida - o exemplo de José do Egito