O fim do cristianismo no Oriente Médio



Ser um cristão no Oriente Médio não tem sido fácil.

Se em 1910 eram aproximadamente 14% da população, hoje não passam de 4%.

Após a invasão dos EUA, caiu pela metade o número de cristão no Iraque. Entretanto, o grupo mais perseguido naquela região não é o de cristãos, e sim o de iáziges. Milhares de homens pertencentes a testes grupos foram mortos, e milhares de mulheres feitas de escravas sexuais.

Não se pode esquecer também que, mesmo dentre os muçulmanos, há muitos que pagam um alto preço por serem contra a perseguição religiosa.

Nos EUA, republicanos e democratas não concordam com o modo como devem tratar a questão da perseguição aos cristãos. Muitos republicanos querem que os refugiados cristãos sejam tratados de maneira privilegiada, mas importantes grupos cristãos não concordam com isso. Além do que, parece ter sido refutada a ideia de que os EUA não estejam recebendo refugiados cristãos.

Boa parte dos acontecimentos que envolvem o Oriente Médio, não podemos nos esquecer, decorre da desastrosa intervenção do ocidente, notadamente dos EUA, ao invadir o Iraque. 

Em minha opinião, é realmente deprimente que estamos assistindo diante de nossos próprios olhos o fim do cristianismo na localidade em que nasceu.

Com informações do site da UOL Notícias.

Comentários

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

Os discípulos ocultos de Jesus

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

O crente egoísta

A fé segundo Rubem Alves

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

Lidando com a traição e as injustiças da vida - o exemplo de José do Egito