Jovens de vida consagrada

Há aproximadamente um mês, tive a oportunidade de dar um estudo em uma instituição católica denominada "Aliança de Misericórdia".

Foi um momento muito bom; uma experiência muito agradável para mim. Estavam lá aproximadamente uns trinta jovens, sendo que muitos deles, de vida consagrada. Isso quer dizer, jovens que a tudo renunciaram por amor a Jesus, não contando com nenhum tipo de propriedade privada, mas focando tudo na missão. Jovens de todo o país, enfim.
É impressionante e comovedor ver tantos jovens assim, consagrando-se à evangelização e ação social. Descobri, por exemplo, que alguns deles passam alguns dias nas ruas, vivendo ao lado dos moradores de rua, para evangelizá-los e tentar tirar alguns daquela situação. A aliança de misericórdia trabalha com crianças, jovens, adultos e velhos.

Senti tanto prazer quanto sinto ao ministrar para jovens evangélicos. Embora sejam católico romanos, com algumas crenças diferentes das minhas, senti-me verdairamente irmanados a eles. Quem sabe um dia não encontremos um caminho para uma maior reconciliação e convivência entre católicos e protestantes, cumprindo o sonho de Roger de Taizé e de João XXIII?

E por falar em jovens cristãos, algo muito marcante para mim também foi ter a oportunidade de dar aula para um grupo de jovens evangélicos que se preparavam para ser missionários na África, na EPITAT, que aconteceu na Igreja Evangélica Manaim. É sempre bom dar aula, mas ministrar para um grupo assim faz com que nos sintamos contagiados pela alegria da missão. Também são jovens que estão deixando família, casa, carreira para serem missionários em outro país. Alguns provavelmente irão para o Sudão, arriscar suas vidas por amor ao evangelho.

São jovens assim que nos alegram, nos inspiram, nos regozijam, faz ver que valeu a pena estudar um pouquinho de teologia pra tentar passar adiante, ver a Palavra de Deus ser pregada no mundo inteiro. Todos nós temos uma obrigação missionária, seja contribuindo com missões, orando, seja indo. Qualquer recurso financeiro disponibilizado neste sentido é algo muito importante.

Comentários

  1. Seino,

    Há algum tempo tenho lido seus artigos.
    Sou católica e o que me chamou a atenção é o respeito, o equilíbrio e a sensatez que você tem ao falar da Igreja Católica, da doutrina católica e consequentemente de nós católicos.
    Gosto muito de ler, de estudar sobre a palavra de Deus. Gosto de estudar sobre a formação e o caminhar do cristianismo, enfim, gosto de sempre aprender mais sobre a formação da Igreja Católica e sobre as demais Igrejas cristãs.
    Aqui há artigos maravilhosos que esclarecem, trazem luz a discussões medonhas e preconceituosas que muitas vezes tomam conta de evangélicos e católicos não só no campo histórico como no teológico também. Um desses artigos é o que trata sobre o título dado à Virgem Maria (Theotokos e Cristotokos).
    Há dois sites de notícias gospel que por vezes frequento porque por lá publicam noticias sobre a Igreja Católica. Fico estarrecida com os títulos sensacionalistas, deturpados, com distorções e mais estarrecida fico com os comentários feitos pelos que se dizem cristãos evangélicos.
    O fato de ofenderem, agredirem aos católicos nem acho que seja o que mais me choca. O que realmente é chocante é que agridem uns aos outros, rivalidade por causa das denominações (até palavras de baixo calão usam uns com os outros). Em alguns comentários que fiz por lá sugeri seu site porque aqui ganha-se pela qualidade dos artigos, pela condução do Espírito Santo.
    Sugeri seu site também a uma colega de trabalho que é evangélica e que estava noiva de um católico(hoje estão casados).
    A maior reconciliação e convivência entre católicos e protestantes é mais do que um sonho meu, seu, de Roger de Taizé ou do Santíssimo Papa João XXIII. A unidade dos cristãos é o desejo de Deus, foi o pedido e a promessa de Jesus Cristo.
    Como e quando isto se dará somente Deus o sabe.
    Mas tenho certeza de que todo o trabalho que você desenvolve é uma contribuição gradiosíssima para esta convivência pacífica, harmoniosa.
    Veja o quanto aprendo com seus artigos acabei de tomar conhecimento sobre o irmão Roger de Taizé mártir do diálogo).
    Paz de Cristo.
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana!
      Graça, paz e muito bem!
      Fiquei muito feliz de ver o seu comentário aqui no meu humilde blog.
      Desculpe-me a demora em responder; é que dificilmente acesso a internet para atualizar o blog.
      De fato, muitos estranham este diálogo que procuro ter no catolicismo romano, bem como em outras expressões do cristianismo.
      Creio que o que nos une é muito maior do que o que nos separa, embora, na prática, entenda que há um caminho muito longo para a unidade de fato (embora, eu acredite que em algum plano espiritual, já desfrutemos de uma certa unidade).
      Muito obrigado por divulgar este meu trabalho, e fico alegre que, de algum modo, possamos estar contribuindo uns com os outros para a nossa formação cristã.
      Grande abraço!!!

      Excluir

Postar um comentário

Mais visitadas do mês

Manaém, o colaço de Herodes

Resenha da obra "Ego Transformado", de Tim Keller

Aprendendo com os erros do Rei Amazias

Acolhei ao que é débil na fé - uma reflexão sobre romanos 14.1

E não endureçais os vossos corações (Hebreus 3.7-13)

Os discípulos ocultos de Jesus

A fé segundo Rubem Alves

Panorama do Novo Testamento: O Evangelho de João

O crente egoísta

As atitudes missionárias de Jesus